HISTÓRICO MINISTERIAL


 Rev. Besaliel Fausto Botelho

 Rev. Besaliel nasceu em Recife, Pernambuco, aos cinco dias do mês de maio de 1933, filho de João Fausto Botelho e de Nair Tavares Botelho. Foi batizado na infância, na Igreja Presbiteriana da Boa Vista, no Recife, pelo Rev. Gerônimo Gueiros. Fez sua pública profissão de fé em 31 de dezembro de 1948, na mesma igreja e pastor.

Concluiu o curso primário no Colégio Americano Batista do Recife. Estudou no Colégio Presbiteriano XV de Novembro, em Garanhuns, onde concluiu o curso Ginasial, e cursou até o segundo ano Colegial (Clássico). Concluiu o curso colegial no Ginásio Pernambucano, em Recife.

. Casou-se em 31 julho de 1954, na cidade de Garanhuns. com Quitéria

Soares Botelho, com quem teve três filhos: Ebenezer, Queila Rosane e Besaliel.

Em 1955 foi eleito Diácono da Igreja Presbiteriana de Garanhuns.

Em 1957, foi eleito presbítero da Igreja Presbiteriana do bairro de Heliópolis, em Garanhuns.   .

Em 1958, participou da reunião do Supremo Concilio, em Lavras, MG, como presbítero delegado do Presbitério Sul de Pernambuco, tendo participado da Comissão que programou o Primeiro Centenário da IPB.

Em 1960, como candidato do Presbitério Sul de Pernambuco, ingressou no Seminário Presbiteriano do Norte, cursando o primeiro ano do curso de Bacharel em Teologia. Em 1961, por motivo de saúde, transferiu sua residência para Campinas, SP., e matriculou-se no Seminário Presbiteriano do Sul, para dar continuidade a seus estudos. Devido a diferença de currículo entre os dois seminários, optou por fazer matérias do curso propedêutico, com o objetivo de acertar sua grade curricular. Nessa época era funcionário dos Correios e Telégrafos, onde trabalhava em sistema de turnos; não podendo, por isso, dar tempo integral aos estudos. Embora tenha freqüentado aulas e feitos trabalhos escolares, não conseguiu credito das matérias, por ter ultrapassado o limite de faltas.

Em 1963, ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Católica de Campinas. Em 1972 concluiu o curso de Bacharel em Direito e após ser aprovado no exame da OAS, passou a exercer a função de Advogado.

Em 1983, encaminhado pelo Conselho da Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara, reativou sua candidatura ao ministério perante o Presbitério de Campinas, que em virtude das matérias já cursadas nos seminários referidos, decidiu por aplicar-lhe uma receita teológica preparada pela Comissão de Candidatos, consistente de leituras de compêndios referentes as teologias histórica, dogmática e hermenêutica. Designou-lhe o campo da Igreja Presbiteriana de ltatiba, onde trabalhou até dezembro de 1984, dando provas de sua vocação ministerial.

            Em 1985, após cumprir todas as exigências da Comissão, inclusive a apresentação de tese e exegese, foi ordenado ao sagrado ministério no dia oito de dezembro, no templo da Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara, em Campinas,  SP.

 

Em 2 de janeiro de 1986, foi nomeado pastor evangelista da Igreja Presbiteriana de Monte Mar, SP., e atos pastorais na Igreja Presbiteriana do Parque Taquaral, em Campinas, SP. , sendo também nomeado tutor do Licenciado Armando Araújo Silvestre', pelo Presbitério de Campinas, reunido na cidade de Itapira. SP.

Em 4 de julho de 1987, compareceu a 14a. Reunião do Sínodo de Campinas e foi nomeado Secretario Sinodal do Trabalho Masculino.

Em 6 de janeiro de 1989, o Presbitério de Campinas, resolveu conceder-lhe carta de transferência para o Presbitério de São Carlos, orando, na ocasião, agradecendo a Deus pela sua vida.. Na mesma data, foi recebido pelo Presbitério de São Carlos, reunido na I.P. de Jaú que o designou para o campo da I.P. de Brotas, como pastor evangelista, ocasião em que também foi eleito delegado a reunião ordinária de julho/89 do Sínodo de Campinas, e nomeado Secretario Presbiterial do Trabalho Masculino.

Em 11 de novembro de 1989, foi eleito Secretario Executivo do PSCL. Na 22a. reunião do PSCL, foi nomeado Secretario Presbiterial o Trabalho Feminino e eleito 10. Suplente de Delegado ao Supremo Concilio.

.         Em 2 de junho de 1990, compareceu a reunião do Sínodo de Campinas,

reunido em Santa Bárbara D'oeste, participando da Comissão Especial fiO. 1, e eleito segundo Secretario do Sínodo.

Em 5 de janeiro de 1991, compareceu a 25a. Reunião do PSCL, na I.P. de Torrinha, SP., em que foi designado pastor evangelista para o campo da I.P. de Dois Córregos, SP., nomeado Secretario PresbiteriaJ do Trabalho Feminino e eleito 3°. Suplente para a reunião do Sínodo de Campinas.

Em 3 de janeiro de 1992, na 29a. reunião do PSCL, na I.P. de Dois Córregos, foi eleito Presidente do Presbitério e nomeado Secretario Presbiterial do Trabalho Feminino.

Em 8 de janeiro de 1994, foi designado pastor evangelista para atos pastorais na Congregação Presbiterial de Barra Bonita, SP, com residência em Campinas.

Em 10 de dezembro de 1994, o PSCL concedeu transferência para o Presbitério de Americana, SP., registrando a destacada atuação do ministro no campo do Concilio, atuando como secretario executivo, secretario de causas e presidente.

Em 7 de janeiro. de 1995, foi recebido pelo Presbitério de Americana e designado pastor evangelista para o campo da I. P. do bairro São Domingos, em Americana, SP., nomeado Secretario .de Planejamento do PAMR, eleito suplente de Deputado à reunião do Sínodo de Campinas, no mês de julho do mesmo ano.

Em 6 de janeiro de 1996, foi nomeado Secretario Presbiterial do Trabalho Feminino. .

Em 8 novembro de 1996, o PAMR, a pedido do ministro, resolveu conceder­-lhe licença nos termos do Art 42 da CIIIPB. Ocasião em que voltou a residir em Campinas, por motivos familiares.

Em de janeiro de 1997, o ministro, a convite ao Conselho da I.P. do Jardim Guanabara, sua igreja de origem, passou a cooperar coma Congregação da Vila Anchieta, pertencente àquela Igreja, na qualidade de colaborador fraterno.

Em janeiro de 1998, a Congregação foi organizada em Congregação presbiterial e o Presbitério designou outro obreiro para aquele campo. O Rev. Besaliel passou a trabalhar na Sede da IPJG, como pastor da Terceira Idade, na qualidade de colaborador fraterno, pois continua ligado ao Presbitério de Americana, conforme consta das anotações em sua Carteira.

Em 5 maio de 2003, completou setenta anos e encaminhou seu pedido de jubilação a seu Presbitério.

Em 31 de julho de 2004, comemorou seu jubileu de ouro matrimonial, em culto de Ação de Graças, na Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara, promovido pelos filhos, genro, noras e netos. Como prêmio, seus filhos lhe proporcionaram uma viagem a Europa, tendo o casal visitado na Suíça, as cidades de Genebra e Basiléia.

Rev. Besaliel completou 70 anos no dia 5 de maio de 2003. Conforme a Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil, ao completar 70 anos, o pastor é jubilado compulsoriamente. Isto significa que ele não poderá mais responder civilmente por igreja nem presidir o Conselho, podendo continuar ministrando os sacramentos.

 Como o Rev. Besaliel ainda estava jurisdicionado ao Presbitério de Americana, encaminhou, em tempo hábil, a documentação exigida pela IPB ao Secretario Executivo do Presbitério para instruir o processo de jubilação.

A Comissão Executiva da IPB, no interregno da reunião do Supremo Concilio tem poderes para examinar os documentos e aprovar a Jubilação.

Ocorreu que houve extravio da correspondência enviada pelo Secretário Executivo do Presbitério e o processo somente veio a ser apreciado pela C.E. na reunião ordinária de março de 2005, ocasião em que Besaliel foi oficialmente declarado pastor jubilado, conforme consta das anotações em sua Carteira Ministerial. Infelizmente, não fomos notificados em tempo da decisão, razão porque não compareceremos à cerimônia de jubilação no Mackenzie, em que foram entregues aos pastores jubilados e respectivas esposas, um diploma e uma medalha de honra ao mérito.

Por esta razão, o Presbitério de Americana resolveu fazer um culto de ação de graças pela jubilação de três pastores do Concilio jubilados naquela reunião, por ocasião do culto de abertura da reunião do Presbitério, no dia 10 de junho de 2005, na Igreja Presbiteriana de Sumaré.

            Um grupo da Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara organizou uma caravana para participar do Culto de Ação de Graças.

Compareceram os pastores, Rev. Fernando Arantes, Ragi Khoury e Shirlésio Cunha, Oscar Imhs de Faria e esposa Odaliça; o Presb. Hugo Cabral e esposa Marilia, Zilton e Celina Neves, Alzira Valim Ferreira, Amélia Luz, Sofia Figo, Miriam de Sousa, Helse Emrich, Heloisa Carvalho, Idarosa ...., além dos filhos Besaliel, Ebenezer e Mariane, Queila Rosana, e os netos Caio Augusto, Gustavo, Quesia e Quely.

O ponto alto da cerimônia foi a entrega dos diplomas e das medalhas pelo Presidente do Concilio, Rev. Ailton Gonçalves Filho, aos pastores e respectivas esposas, reverendos Eurides Diogo de Paula; Dirceu Mendonça e Besaliel.

Antes da entrega dos diplomas e das medalhas, nosso filho Besaliel nos prestou uma homenagem, dando seu testemunho sobre nosso ministério pastoral, o que muito nos emocionou.

Concedida a palavra aos jubilandos, Rev. Besaliel agradeceu a presença de todos e declamou o poema que havia escrito para aquela ocasião, como uma homenagem a todos os pastores jubilados e cujo teor transcrevemos:

    Campinas, junho de 2005     

ODE AO PASTOR JUBILADO

 

Quando jovem, tive um sonho

Almejava um futuro risonho;

Ter muito sucesso, ser um “doutor”.

Mas Deus tinha seus planos

E no decorrer dos anos

Fez de mim pastor.

 

Na vida cometi muitos erros,

Andei por ínvios caminhos,

Naveguei em direção a “Tarsis”,

Fugindo da divina vocação.

Mas Deus por sua infinita graça

Me fez retornar á missão.

 

E o Senhor da Igreja, providente,

Misericordioso e assaz clemente,

Por mulher deu-me uma “Santa”.

Companheira amorosa, fiel e expedita

Na alegria e na dor, sempre bendita,

Repartiu comigo sua esperança.

 

Deu-nos filhos, meninos e meninas.

E essas criaturas pequeninas

Deram sentido ao nosso viver.

Mais tarde, os netos, tão queridos,

Formosos e bem nutridos:

Alegram  o nosso entardecer.

 

Pastoreei igrejas, grandes e pequenas,

Celebrei bodas, batizei adultos e crianças,

Presidi concílios, viajei pelo exterior;

Preguei em casebres e em catedrais;

Visitei enfermos em casas e hospitais

Consolei o órfão e a viúva; fui professor.

 

 

Aos setenta anos, sou jubilado

Troco de pastor o cajado

Por um rústico bordão.

Já sinto do ministério saudades.

“Combati o bom combate, digo sem vaidades,

Guardei a fé, cumpri cabalmente a missão”.

 

 

Ancião de dias, sou ainda feliz

Passo a outro profeta, minha sobrepeliz.

Nesta noite recebo como laurel.

Um diploma e uma medalha de ouro

Mas ainda me resta um eterno tesouro

Reservado, por Cristo, no céu.

        


Em janeiro de 2011,  o Rev. Besaliel escreveu um novo poema como ação de graças pelo cinquentenário da chegada da família Soares Botelho à Campinas, abaixo transcrito:

 

CAMPINAS DOS ANOS SESSENTA

 

Ah! Campinas, cidade dos meus sonhos!

De minha juventude, os anos mais risonhos;

Cidade acolhedora, pacata e promissora,

Com apenas duzentos mil habitantes,

Mas, uma cidade bela e progressista;

Que um dia acolheu um jovem seminarista.

 

Ah!, Campinas do Instituto Agronômico;

Do majestoso Seminário Presbiteriano;

Do Departamento dos Correios e Telégrafos;

Do aeroporto internacional de Viracopos

Do saudoso bonde vermelho e amarelo

Que ligava o centro ao mirante do Castelo.

 

Ah! Campinas da antiga Estação da Paulista

Da Companhia Mogiana e da Santos Jundiaí

Do Teatro Municipal, da Ponte Preta e do Guarany

Do Colégio Progresso, do Culto à Ciência, da Escola Normal,

Da Faculdade de Direito e do Palácio dos Azulejos

Onde funcionava a Prefeitura e a Câmara Municipal.

 

Essa era a Campinas dos anos sessenta!

Que Deus preparou para receber nossa família.

Acrescida da boa gente campineira, verdadeira e amiga;

E ainda nos deu de presente a recém organizada

 Igreja Presbiteriana do Jardim Guanabara,

Onde a família cresceu e encontrou guarida.

 

Cinqüenta anos de lutas e de vitórias!

“Que diremos, pois, a vista dessas coisas?”

Diremos que Deus nos ama e nos quer bem

E faz chegar a bom termo nossa jornada.

A Ele, pois, seja toda honra, louvor e glória

Hoje e para todo sempre, Amém.

 

Besaliel Fausto Botelho

Culto de Ação de Graças pelos 50 anos

da chegada da família Soares Botelho a Campinas

Janeiro de 2011